Surfistas engajados por justiça socioambiental

Ecosurfi representa a comunidade do surfe em Brasilia

Ecosurfi representa a comunidade do surfe em Brasilia Ecosurfi representa a comunidade do surfe em Brasilia

Noite do Surfe pelo Social em Itanhaém

Encontro tem como proposta reunir a comunidade do surfe

Encontro tem como proposta reunir a comunidade do surfe Encontro tem como proposta reunir a comunidade do surfe

Projeto faz diagnóstico de áreas potenciais para Ecoturismo

Levantamento aponta atrativos em Itanhaém/SP

Projeto faz diagnóstico de áreas potenciais para Ecoturismo Projeto faz diagnóstico de áreas potenciais para Ecoturismo

Ecosurfi encoraja surfistas a discutir Gestão Costeira

Comunidade do surfe cobra mais atenção com as praias

Comunidade do surfe cobra mais atenção com as praias Comunidade do surfe cobra mais atenção com as praias

Profissionais da Escola Ecosurfi passam por “reciclagem”

Curso de Formação e Atualização de Instrutores de Surfe

Curso de Formação e Atualização de Instrutores de Surfe Curso de Formação e Atualização de Instrutores de Surfe

Semana do Meio Ambiente debate surfe e sustentabilidade

O seminário vai debater o engajamento dos surfistas

O seminário vai debater o engajamento dos surfistas O seminário vai debater o engajamento dos surfistas

Ecosurfi “dropa” no Ibirapuera

Projetos que defendem a biodiversidade foram expostos

Projetos que defendem a biodiversidade foram expostos Projetos que defendem a biodiversidade foram expostos

Programa de voluntariado da Ecosurfi

Visa criar uma rede para o engajamento público

Visa criar uma rede para o engajamento público Visa criar uma rede para o engajamento público

Instrutores da Escola Ecosurfi recebem treinamento

O objetivo do projeto é ensinar técnicas para resgates no mar

Instrutores da Escola Ecosurfi recebem treinamento do Salva Surfe Instrutores da Escola Ecosurfi recebem treinamento do Salva Surfe

“Onde o mar encontra as pessoas” será lançado na Ecosurfi

Documentário traz o panorama das relações humanas com o mar

“Onde o mar encontra as pessoas” será lançado na Ecosurfi “Onde o mar encontra as pessoas” será lançado na Ecosurfi

Vitória contra o projeto Porto Brasil

Terra Indígena é demarcada e restingas são protegidas

Terra Indígena é demarcada e restingas são protegidas Terra Indígena é demarcada e restingas são protegidas

Viva Mata 2011 vai debater surfe e gestão costeira

Debate tem como foco discutir as zonas costeiras

Debate tem como foco discutir as zonas costeiras Debate tem como foco discutir as zonas costeiras

Ecosurfi atua na criação de área protegida em SP

Decreto oficializa a criação do mosaico de UC,s

Ecosurfi atua na criação de área protegida em SP

Manifestantes participam de mobilização contra mudanças no Código Florestal



Mais de cem pessoas participaram neste domingo (26/02) da manifestação denominada Remando por um Mundo Melhor – campanha: #manguefazadiferenca, que fez um alerta sobre o impacto das alterações do
Código Florestal nos manguezais e zonas costeiras.

O ato público foi realizado em frente ao Aquário Municipal, na Praça Luiz La Scala em Santos/SP. A mobilização era para ter acontecido no dia 12, mas devido ao mau tempo foi adiada para este domingo.

O evento contou, também, com uma carta gigante, que será entregue à presidente Dilma Roussef, em Brasília, no próximo dia 6. Nessa data terão início as votações do novo texto do Código Florestal.

A carta, em tecido branco, lembrava uma vela de navio. A peça foi esticada sobre a areia e atraiu a atenção de todos. No centro do tecido, o desenho em azul, de uma prancha de surfe, dava destaque ao alerta Veta Dilma, em negro. Na parte branca, os participantes aproveitaram para fazer uma espécie de abaixo-assinado

Nova lei

Entre as mudanças do Código Florestal, a nova lei prevê a consolidação de ocupações irregulares em manguezais feitas até 2008, principalmente na Mata Atlântica e na Amazônia.


De acordo com a Fundação SOS Mata Atlântica, a nova legislação reduzirá a diversidade de espécies marinhas, causando impacto para até 1 milhão de pescadores. A Fundação, juntamente com a ong Ecosurfi,  foi a realizadora do evento.

“Os manguezais mantêm a qualidade de vida das áreas costeiras”, definiu Fabio Motta, biólogo e coordenador do Programa de Conservação do Projeto Mata Atlântica.

Por sua vez, João Malavolta, dirigente da Ecosurfi, lembrou que “o mar também será atingido com a degradação dos mangues, causando o aumento da poluição”.

Após a foto oficial que reuniu surfistas, voluntários, remadores e colaboradores, o ato dividiu-se em dois momentos: remada e caminhada. Da remada participaram caiaques, stand ups e as turmas do surfe e da canoa havaiana. Na caminhada pela areia, os integrantes empunharam banners e faixas com frases de alerta. Foram distribuídas também bolas verdes.


O cortejo dirigiu-se até a Praça das Bandeiras, no Gonzaga, onde aconteceu um apitaço. De volta ao Aquário, ponto de partida, houve confraternização entre os participantes, além de serem sorteados um bloco de prancha de surfe, um remo de fibra de carbono, uma quilha, duas parafinas e camisetas.

Confira o vídeo da ação


Fonte: Redação Jornal A Tribuna 


Leia Mais ►
Read more...

Surfistas mobilizam a sociedade em prol dos manguezais, em Santos (SP)

Ações fazem parte do movimento nacional #manguefazadiferenca, que alerta sobre os riscos que as alterações do Código Florestal trazem para estes importantes ecossistemas em toda zona costeira do Brasil.


 

Acontece neste domingo (26), em Santos (SP), a ação da campanha “Mangue Faz a Diferença”, que pretende mobilizar moradores e turistas sobre a importância dos manguezais e alertar sobre os riscos que as mudanças no Código Florestal trazem para futuro desses ecossistemas. Anteriormente prevista para o dia 12 de fevereiro, a ação foi adiada devido ao mau tempo. A iniciativa tem coordenação nacional da Fundação SOS Mata Atlântica e o apoio da Rádio Eldorado.  A coordenação regional é da ONG Ecosurfi. Informações estão disponíveis em www.manguefazadiferenca.org.br.

A partir das 9h, acontecerá na Baía de Santos a ação “Remando por um Mundo Melhor”. Surfistas profissionais e amadores, voluntários e colaboradores participarão da ação, que terá concentração e largada em frente ao Aquário Municipal e seguirá a orla da cidade pelo mar. Durante a remada, os participantes carregarão faixas e banners, com mensagens contra as alterações do Código Florestal e em favor dos mangues. Para quem não quiser ir pela água, uma equipe conduzirá os manifestantes pela areia, na caminhada #manguefazadiferenca.

Após o ato público, na Praia do Gonzaga, os manifestantes se reunirão em frente ao Aquário Municipal para uma confraternização, onde haverá música ao vivo e um sorteio de um bloco de Stand Up Paddle e de um remo em fibra de carbono para os participantes, oferecidos pela fábrica de pranchas New Advance, além de Kits da ONG Ecosurfi.

Além de Santos, a campanha está ocorrendo em diversas regiões do país, com manifestações em outros doze Estados (CE, RN, PB, PE, AL, SE, BA, ES, RJ, SC, PR e RS), além de ações em Brasília/DF (confira a programação completa ao fim do texto).

Como parte da campanha também está sendo lançado o Manifesto A Favor da Conservação dos Manguezais Brasileiros. Segundo o texto do documento, além dos sérios problemas que já vêm sendo denunciados – como a anistia e da redução da proteção em áreas de Reserva Legal e de Preservação Permanente –, o projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados e o substitutivo do Senado atingem também diretamente os ecossistemas costeiros e estuarinos, notadamente os manguezais brasileiros, em toda zona costeira do país. O documento lista os principais problemas trazidos para esses ecossistemas e pede providências às autoridades. O manifesto pode ser acessado em www.manguefazadiferenca.org.br.

A ação tem o apoio do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, uma coalizão formada por 163 organizações da sociedade civil brasileira, responsável pelo movimento “Floresta Faz a Diferença”.

Informações, fotos e vídeos sobre todas as atividades, bem como os materiais de comunicação, informações sobre as organizações participantes e o manifesto da campanha estão disponíveis no hotsite www.manguefazadiferenca.org.br. Internautas também podem acompanhar a mobilização pela fan page da campanha no Facebook, facebook.com/manguefazadiferenca, e manifestar seu apoio via Twitter com a hashtag #manguefazadiferenca.  

Em Santos a campanha #manguefazadiferenca conta com a iniciativa nacional SOS Mata Atlântica, coordenação regional da ONG Ecosurfi e a organização local: Loja Surfsttore, fábrica de pranchas New Advance, Instituto Ecofaxina e Associação Santos de Surf. Além do apoio da Água Marinha, Okumura - Temakeria e Freshfish, Unisanta e Me2 ENTERTAINMENT.
Leia Mais ►
Read more...

Adiada campanha: #manguefazadiferenca em Santos /SP

A Remada por um Mundo Melhor – campanha: #manguefazadiferenca foi ADIADA devido ao mau tempo neste final de semana.

Conforme aponta a previsão metereológica (http://www.cptec.inpe.br/) para as próximas 24h, os índices de fortes chuvas na região passam de 90%, com a probabilidade de precipitar com maior intensidade no domingo.

Para não comprometer o bom andamento da manifestação contra as alterações do Código Florestal, que aconteceria na cidade de Santos, neste domingo dia 12/02, a organização do evento decidiu transferir as atividades para o próximo dia 26/02 (domingo) com a mesma programação.

Maiores informações:13 3426 8138/13 9751 0332  

 
Leia Mais ►
Read more...

Santos se mobiliza contra o Novo Código Florestal

Campanha #manguefazadifereca mostra à sociedade que as alterações do Código Florestal afetarão diretamente toda zona costeira do Brasil.

Para alertar e mobilizar a sociedade na Baixada Santista/SP sobre o impacto das alterações do Código Florestal nos manguezais e zonas costeiras, a Fundação SOS Mata Atlântica, diretamente em parceria com a ONG Ecosurfi, realiza, dia 12 de fevereiro, a campanha “Mangue Faz a Diferença” – Remando por um Mundo Melhor na cidade de Santos/SP.

Este movimento é composto por organizações de todos os estados brasileiros que possuem litoral com Mata Atlântica e traz em sua agenda manifestações programadas em diversas praias, além de um ato em Brasília no início de março. A campanha conta com o apoio do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, uma coalizão formada por 163 organizações da sociedade civil brasileira, responsável pelo movimento “Floresta Faz a Diferença”.

Como parte da campanha, também foi lançado o Manifesto A Favor da Conservação dos Manguezais Brasileiros. Segundo o texto do documento, “além dos sérios problemas que já vêm sendo denunciados por cientistas, ambientalistas, especialistas em legislação e organizações da sociedade civil – a exemplo da anistia e da redução da proteção em áreas de Reserva Legal e de Preservação Permanente –,  representando um grave retrocesso na proteção das florestas, o projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados e o substitutivo do Senado atingem também os ecossistemas costeiros e estuarinos, notadamente os manguezais brasileiros, em toda zona costeira do país.”

Em seguida, o documento lista os principais problemas trazidos para esses ecossistemas e pede providências às autoridades. O manifesto pode ser acessado na íntegra em http://bit.ly/manguefaz.


Manifestação “Remando por um Mundo Melhor” leva surfistas e remadores para protestar em favor dos mares e oceanos

Santos está entre uma das principais cidades do Brasil por possuir o maior porto da América Latina, contudo, ainda conta com áreas de manguezais, que no decorrer dos anos estão desaparecendo sistematicamente, devido a ocupações irregulares, poluição por resíduos sólidos e expansão da área portuária.

Pretendendo chamar a atenção da comunidade do surf e demais públicos para os impactos que essas regiões sofrem, a cidade se prepara para receber no próximo dia 12/02 uma grande remada em defesa do litoral.

A proposta capitaneada pela ONG Ecosurfi, que há 12 anos atua na proteção das zonas costeiras, conta com a organização local da loja Surfsttore, da fabrica de pranchas New Advance, do Instituto Ecofaxina e Associação Santos de Surfe tem como foco principal alertar os praticantes do esporte sobre a interdependência dos ecossistemas costeiros e contribuir com o entendimento, de que, a saúde dos oceanos depende da preservação dos manguezais. 

O ambiente da concentração e largada vai ser em frente ao Aquário Municipal. O percurso vai seguir a orla da cidade pelo mar, com os participantes remando bem próximo da areia para chamar a atenção do público presente na praia.

Para não remadores - Outro ponto forte da manifestação será a caminhada #manguefazadiferenca, que levara os “não-remadores” a andar pela areia conversando com os freqüentadores da praia sobre os objetivos da campanha.

Tanto remadores como não-remadores terão como ponto comum de encontro a Praça das Bandeiras no bairro do Gonzaga, para um grande ato público em defesa dos manguezais e de toda zona costeira.

Após o ato-público, na Praia do Gonzaga, vai acontecer em frente ao Aquário Municipal uma confraternização. Os participantes serão recebidos com música ao vivo e vão participar do sorteio de um bloco de SUP e um remo em fibra de carbono, oferecidos pela fábrica de pranchas New Advance, além de Kits da ONG Ecosurfi.

Marcelo Morais, proprietário da loja Surfsttore, e um dos organizadores do evento, garante que Santos deve refletir sobre o que pode acontecer com as áreas naturais preservadas da cidade caso o novo Código seja aprovado.

“Santos é uma cidade linda e ainda possui muitas áreas de manguezais que devem ser protegidas. As alterações no Código Florestal podem ser sinônimo do desaparecimento desses ambientes nos próximos anos e a saúde dos oceanos também dependem dos mangues”, comenta.

Reconhecido pelo importante trabalho em prol dos manguezais do estuário que compreende a região da cidade de Santos, o Instituto Ecofaxina fará parte da mobilização #manguefazadiferenca, trazendo sua equipe para permitir ao publico participante maior entendimento da importância dos manguezais na vida marinha.

De acordo com texto publicado na página virtual do Instituto Ecofaxina, os manguezais também desempenham importantes serviços ambientais como reguladores do clima.

Os mangues são a espinha dorsal das costas dos oceanos tropicais, são muito mais importantes para a biosfera do oceano global [...]. E, embora essa mata de mau-cheiro lamacento não tenha o encantamento de florestas tropicais ou recifes de corais, uma equipe de pesquisadores observou que a linha costeira de plantas lenhosas fornecem mais de 10 por cento do carbono orgânico dissolvido fornecido ao oceano a partir da terra”. (texto extraído: www.ecofaxina.org.br)

Em Santos a campanha #manguefazadiferenca conta com a iniciativa nacional SOS Mata Atlântica, coordenação regional da ONG Ecosurfi e a organização local: Loja Surfsttore, fábrica de pranchas New Advance, Instituto Ecofaxina e Associação Santos de Surf. Além do apoio da Água Marinha, Okumura - Temakeria e Freshfish, Unisanta e Me2 ENTERTAINMENT.

Como participar

As inscrições podem ser feitas na Loja Surfsttore em Santos (Av. Pedro Lessa, 796 – Aparecida, das 9h às 19h) ou na Ecosurfi através do telefone: (13) 3426 8138 e também no dia do evento (12/02) a partir das 9h em frente ao Aquário Municipal.

*Programação:

09h - Concentração - em frente ao Aquário Municipal
09:30h - Retirada do kit #manguefazadiferenca
10:30h - Saída - Percurso do Aquário ao Gonzaga
11:30h - Manifestação Praça da Bandeira
13:30h - Confraternização - em frente ao Aquário

Cyberativismo - Sociedade Mobilizada


Internautas já podem acompanhar a mobilização e obter informações na fan page da campanha no Facebook (facebook.com/manguefazadiferenca), e manifestar seu apoio via Twitter com a hashtag #manguefazadiferenca.  Informações, fotos e vídeos sobre as atividades, bem como os materiais da campanha e o manifesto estarão disponíveis ainda nesta semana no hotsite www.manguefazadiferenca.org.br.
Leia Mais ►
Read more...
Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget

Destaques

Ocorreu um erro neste gadget

  © Ecosurfi Desenvolvimento por Comunicação Ecosurfi Século XXI

Back to TOP